83 3044 1000

João Pessoa

Olá, como você se chama?

Servidor tem direito à licença para acompanhar cônjuge transferido

Por Gracielle Viegas (Advogada Associada)

Por Gracielle Viegas (Advogada Associada)

O servidor público federal casado ou que vive em união estável poderá acompanhar o seu cônjuge ou companheiro (a), também servidor público federal, que foi transferido para trabalhar em outra cidade brasileira ou no exterior.

Tal fato tem amparo do art. 84 da lei nº 8.112/90, podendo o servidor ser transferido por tempo indeterminado ou provisoriamente. Na hipótese de transferência por tempo indeterminado, licença será concedida sem remuneração.

Todavia, na hipótese de concessão de licença de forma provisória, poderá o servidor acompanhar o seu cônjuge e desempenhar suas funções em outro órgão federal, percebendo remuneração e sem a necessidade de solicitar licença com essa finalidade.

Para o requerimento do exercício provisório em outro órgão federal é necessário a comprovação da transferência do cônjuge, bem como de que a função a ser desempenhada pelo servidor solicitante seja semelhante ao cargo que ocupa para não restar caracterizado o desvio de função.

Portanto, caso indeferido o pleito administrativo de transferência para acompanhar o cônjuge ou companheiro (a) transferido para outra localidade, é possível reconhecer o seu direito com o ingresso de ação judicial, diante das inúmeras jurisprudências favoráveis em casos semelhantes.

Posts Relacionados

Publicações

Medida Provisória cria o Programa Emprega + Mulheres e Jovens

17 Maio 2022

Por Rummenig Lucena (Advogado Associado)

Publicações

Medida Provisória altera lei que regula o teletrabalho (home office)?

12 Maio 2022

Por Thiago Leandro (Advogado Associado)

Publicações

Você sabia que algumas situações dispensam a carência para ter direito ao auxílio-doença?

11 Maio 2022

Por Mônica Danielle (Advogada Associada)

Publicações

O filho de 21 anos e estudante continua recebendo a pensão por morte?

13 Abril 2022

Por Allana Lopes (Advogada Associada)

Publicações

Você sabe quem é o “super idoso”?

5 Abril 2022

Por @jorgeluiz353 (Advogado Coordenador)